bailarico

Parece mesmo um bailarico este vai e vem de regras nos dois países devido à pandemia mas, em ambos os casos, a maioria da população está insatisfeita com as regras impostas.

Vejamos um resumo entre Portugal e Reino Unido:

As medidas anunciadas no Conselho de Ministros Portugues

– Os ajuntamentos ficam limitados a dez pessoas, na via pública e em estabelecimentos, salvo se pertencentes ao mesmo agregado familiar.

– Estabelecimentos comerciais (com exceção de ginásios, cabeleireiros ou pastelarias, por exemplo) só devem abrir a partir das 10.00. Supermercados, hipermercados ou cafés podem permanecer abertos até às 23.00, mas esta decisão, relativa ao período entre as 20.00 e as 23.00, poderá ser alterada pelas autarquias.

– Haverá regras especiais para restaurantes, cafés e pastelarias que se localizem num perímetro de 300 metros das escolas: neste caso, os grupos estão limitados a um máximo de quatro pessoas (salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar).

– Nas áreas de restauração dos centros comerciais também não poderão juntar-se mais de quatro pessoas por grupo.

Proibição da venda de bebidas alcoólicas em áreas de serviço ou em postos de abastecimento de combustíveis.

– Proibição da venda de bebidas alcoólicas, a partir das 20.00, nos estabelecimentos de comércio a retalho, incluindo supermercados e hipermercados.

Proibição do consumo de bebidas alcoólicas em espaços exteriores dos estabelecimentos de restauração e bebidas após as 20.00, salvo se se tratar de serviço de refeições.

– Até ao final do mês, estarão operacionais 18 brigadas de emergência (constituídas por médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico, num total de 400 pessoas) para agir de forma rápida nos surtos em lares.

– Recintos desportivos vão continuar sem público.

Há algumas medidas que serão específicas para as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, onde se concentram a maioria dos casos de covid-19:

– Governo aprovou um diploma – e vai agora falar com os parceiros sociais – com medidas para que, nas empresas, os trabalhadores fiquem rotativamente em teletrabalho e trabalho presencial.

– O mesmo para o desfasamento de horários dos trabalhadores: governo quer horários diferenciados de entrada e saída e horários diferenciados para pausas e refeições.

Duas medidas que têm por objetivo reduzir os grandes movimentos pendulares nas duas áreas metropolitanas do país.

O uso de máscara na rua, uma dúvida que se levantava neste pacote de medidas, não avança. Mantém-se a situação atual em que o uso de máscara é obrigatório nos espaços fechados.

portugal
© Mário Cruz/Lusa

Medidas adotadas pelo governo Britânico

  • Reuniões sociais de mais de seis pessoas em Inglaterra não serão permitidas por lei a partir de segunda-feira 14 de Setembro
  • A nova regra aplica-se a pessoas em casas particulares, dentro e fora de casa, e lugares como pubs, restaurantes, cafés e espaços públicos ao ar livre
  • Aplica-se a todas as idades
  • A regra não se aplica a escolas e locais de trabalho, nem a casamentos, funerais e desportos de equipa organizados
  • Uma lista completa de isenções deverá ser publicada antes de a lei ser alterada

As pessoas que ignoram a polícia podem ser multadas em £100 – duplicando com cada infracção até um máximo de £3,200

Existem algumas excepções às novas regras. Famílias e bolhas de apoio maiores do que seis podem socializar juntas – mas não com mais ninguém ao mesmo tempo – e as reuniões podem ser mais do que seis se forem para fins de trabalho ou educação.

O Arcebispo de Cantuária, Justin Welby, disse que as novas regras não afectam os locais de culto, uma vez que isso “não é uma reunião social”.

E Parkrun – que no início desta semana anunciou que iria recomeçar em Inglaterra – não é “afectada” por ser um desporto organizado, disseram os seus organizadores.

O correspondente político da BBC Nick Eardley salientou que os pubs e restaurantes poderiam ter mais de seis clientes no interior, mas que os grupos de seis teriam de estar socialmente distantes uns dos outros.

A razão por detrás de permitir isto, mas não permitir grupos maiores de pessoas dentro das casas de outras pessoas, é que as empresas só podem ser abertas se seguirem medidas de segurança e higiene estabelecidas pelo governo, acrescentou ele.

reino unido

Em Portugal, Graça Freitas alerta “O convivio tem de ser diminuido, estamos numa pandemia”.

Nas últimas três semanas, o ritmo de propagação do vírus cresceu, atingindo valores registados em abril, nas primeiras semanas do confinamento (e estado de emergência).

Esta sexta-feira, de acordo com o boletim epidemiológico da DGS, foram confirmadas mais três mortes e 687 novas infeções pelo novo coronavírus.

É preciso recuar até ao dia 16 de abril, quando foram notificados 750 casos, para encontrar um valor mais elevado de contágios diários.

Fechar escolas “só em situações muito extraordinárias” e de “propagação comunitária intensa”

Durante a conferência de imprensa, foi ainda abordado o tema do regresso às aulas – agendado, no ensino público, para a próxima semana. Graça Freitas voltou a referir que o encerramento de um estabelecimento de ensino deve ser entendido como uma solução de último recurso, e que só poderá ser tomada pelas autoridades de saúde locais com a DGS por ser “uma grande responsabilidade”.

Já no lado Inglês, as pessoas estão a ser advertidas contra uma concentração em grande número para um “fim-de-semana de festa” no tempo quente antes das regras mais rigorosas do coronavírus entrarem em vigor na segunda-feira.

Com as temperaturas bem dentro das previsões de 20ºC, o presidente do organismo que representa os polícias disse temer que “o álcool e o tempo quente” pudessem combinar-se nas próximas 48 horas antes da entrada em vigor da “regra dos seis”.

“Usar a situação actual como oportunidade e desculpa para festejar seria incrivelmente irresponsável e pressionaria não só o policiamento, mas potencialmente o serviço de ambulância e o NHS” acrescentou.

O ministro da saúde Matt Hancock alertou para os “primeiros casos credíveis” de reinfecções por coronavírus, ao delinear uma preocupação crescente com um recente surto de casos positivos da doença.

Os comentários do secretário da saúde vieram depois de o Reino Unido ter registado cerca de 3.000 novos casos de Covid-19 – por um segundo dia consecutivo – com um aumento particular destacado entre as pessoas mais jovens.

“Não há inevitabilidade para um segundo pico”, disse ele. “Depende das acções que todos nós tomarmos”. É claro que no governo estamos preocupados com isto e mantemos todas as opções em aberto, mas todos têm um papel a desempenhar”.

 

FonteLusoTimes
Avatar
Manny Olas estudou em Cambridge, Reino Unido, e vive em Northampton desde 2003. É um apaixonado por comunicação, serviço publico e interação com o publico em geral. Faz emissões de rádio online e negocia no mercado de valores como passatempo.