Bordar e tricotar pode trazer benefícios para a saúde. Estudos e especialistas garantem que esses efeitos são maiores do que se pensava.

O cardiologista americano Herbert Benson, professor de medicina integrativa de Harvard, afirma que atividades como bordar e tricotar induzem a um estado de relaxamento similar ao da meditação e do Yoga. Estas atividades podem reduzir os batimentos cardíacos, a pressão arterial e os níveis de hormonas ligadas ao stress.

Uma pesquisa da Universidade da Columbia Britânica, no Canadá, com 38 mulheres com anorexia, apontou que tricotar trouxe significativas melhorias. Mais de 70% das mulheres disseram que a atividade reduziu a intensidade de seus medos e pensamentos sobre o distúrbio alimentar.

Outro estudo, publicado no “Journal of Neuropsychiatry & Clinical Neurosciences” indica que praticar atividades manuais como crochet e tricot reduz as os transtornos cognitivos leves e perda de memória. O estudo foi feito com 1.321 pessoas entre 70 e 89 anos.

A atividade também pode ajudar a reduzir a dor, segundo pesquisa com pacientes com dores crónicas do sistema público de saúde britânico.

Nenhum dos estudos, porém, desvendou por quais mecanismos esses benefícios surgem. Alguns pesquisadores especulam que as atividades manuais promovem o desenvolvimento de vias neurais do cérebro que ajudam a manter a saúde cognitiva.