Um acordo comercial pós-Brexit entre o Reino Unido e a UE “parece improvável” neste estágio, disse o negociador do bloco.

Falando após a última ronda de negociações, Michel Barnier disse estar “desapontado” e “preocupado”.

O seu homólogo do Reino Unido, David Frost, falou de “poucos progressos”, sobre as diferenças na política de pescas e nas regras dos auxílios estatais.

A UE disse que gostaria de chegar a um acordo até outubro para que possa ser aprovado pelo Parlamento Europeu antes que expire o período de transição pós-Brexit.

O período de transição termina em 31 de dezembro e, se um acordo não tiver sido fechado até então, o Reino Unido terá que negociar com a UE nos termos da OMC (Organização Mundial do Comércio).

Isso significa que a maioria dos produtos do Reino Unido estaria sujeita a tarifas até que um acordo de livre comércio estivesse pronto para ser implementado.

O Reino Unido disse que não prorrogará as negociações se não for possível chegar a um acordo até o prazo de dezembro.

Num comunicado divulgado após a sétima ronda de negociações, Frost disse que a UE tornou “desnecessariamente difícil” fazer progressos, insistindo que as diferenças sobre auxílios estatais e pescas devem ser resolvidas antes que “um trabalho substantivo possa ser feito em qualquer outra área da negociação, inclusive sobre os textos legais “.

‘Controle soberano’

Numa tentativa de quebrar o impasse, o Reino Unido apresentou à UE um projeto de texto legal para um acordo de livre comércio.

Frost, que se reporta diretamente ao primeiro-ministro Boris Johnson, disse que o Reino Unido procura um acordo que “garanta que recuperemos o controle soberano de nossas próprias leis, fronteiras e águas”.

“Quando a UE aceitar esta realidade em todas as áreas da negociação, será muito mais fácil avançar”, afirmou.

Brexit
Os direitos de pesca são uma das áreas onde permanecem diferenças significativas (GETTY IMAGES)

Um alto funcionário de negociações do Reino Unido acrescentou que um acordo “ainda era possível, mas não tão fácil de chegar lá”.

Eles também disseram que era “frustrante” que a UE “dissesse que Brexit significa Brexit … mas eles querem que continuemos com os acordos como se ainda fossemos [um membro da UE]”.

“É frustrante que eles queiram que avaliemos sua posição sobre pesca e ajuda estatal antes de fazer qualquer outra coisa.”

‘Desperdiçando tempo’

Falando numa coletiva de imprensa em Bruxelas, Barnier acusou o Reino Unido de “perder um tempo valioso”, sugerindo que o texto preliminar era “útil”, mas minimizando sua importância para chegar a qualquer acordo.

“Muitas vezes esta semana parecia que estávamos indo mais para trás do que para a frente”, disse ele.

“Dado o pouco tempo que resta, o que eu disse em Londres em julho continua verdadeiro; hoje, nesta fase, um acordo entre o Reino Unido e a UE parece improvável.”

Embora tenha havido progresso na cooperação energética, participação em programas sindicais e combate à lavagem de dinheiro, sobre o acesso às águas de pesca do Reino Unido e da UE, não houve “nenhum progresso”.

Ele também disse que a demanda da UE por condições de concorrência iguais – um dos outros pontos críticos nas negociações – era “uma pré-condição não negociável para conceder acesso ao nosso mercado de 450 milhões de cidadãos”.

Um campo de igualdade é um termo de política comercial para um conjunto de regras e padrões comuns que impedem as empresas num país de prejudicar seus rivais e obter uma vantagem competitiva sobre as que operam noutros países.

A UE tem insistido em que haja igualdade de condições para os direitos dos trabalhadores, a proteção do ambiente, a tributação e os auxílios estatais.

A próxima ronda de negociações deve começar em 7 de setembro em Londres.

FonteBBC
Avatar
Manny Olas estudou em Cambridge, Reino Unido, e vive em Northampton desde 2003. É um apaixonado por comunicação, serviço publico e interação com o publico em geral. Faz emissões de rádio online e negocia no mercado de valores como passatempo.