A França regista 1100 mortos hospitalares e tem 22.300 casos positivos de Covid-19, anunciou hoje o director-geral da Saúde, assinalando que a mortalidade em determinadas regiões está acima do esperado nesta altura do ano, possivelmente ligada ao vírus.

Segundo as autoridades francesas, há atualmente 10176 pessoas hospitalizadas devido à Covid-19 e 2516 destes pacientes estão nos cuidados intensivos.

Nas últimas semanas foram criadas mais 3000 camas nos cuidados intensivos, contando agora com 8000 no total. O número de pacientes curados é agora de 3500.

Jérôme Salomon precisou que os dados da Direcção-Geral da Saúde francesa, divulgados diariamente, têm várias fontes, como hospitais, lares e médicos de clínica geral. No entanto, o número de mortes devido ao novo coronavírus refere-se apenas às registadas em meio hospitalar.

O diretor-geral da Saúde especificou que em certas regiões onde houve focos de contaminação há também um aumento da mortalidade e, por isso, pode haver mais casos que não entram directamente nestas estatísticas.

Para apoiar as regiões mais afectadas e com menos meios, um comboio de alta velocidade foi fretado para transferir casos graves da região do Grand Est para hospitais em Nantes e Angers.

Quanto à realização de testes, a França tem agora capacidade para cerca de 9000 testes diários ao coronavírus. As autoridades esperam aumentar esta capacidade para 29000 até ao fim da próxima semana.

Apesar do primeiro-ministro, Édouard Philippe, ter limitado as medidas de quarentena para idas ao médico apenas por razões urgentes, Jérôme Salomon precisou hoje que continuam a ser assegurados os direitos reprodutivos da mulher com a continuação do recurso à interrupção voluntária da gravidez, assim como o seguimento das grávidas e as três ecografias obrigatórias em hospital.