Aproximadamente 1.000 pessoas de 40 países se reuniram-se no passado sábado para escrever uma mensagem na praia de Odeceixe usando os seus próprios corpos. A mensagem foi um claro NAO para todas as tentativas de perfuração de petróleo offshore numa das últimas costas naturais da Europa, além de solicitar um uso crescente de fontes de energia renováveis.

Havia 250 pessoas de Tamera, com ativistas de muitos países reunidos sob a bandeira de “Defender o Sagrado”, incluindo ativistas indígenas de Standing Rock, que iniciaram o protesto DAPL. A ação começou com uma cerimônia de equilíbrio de fogo e água.

Muitas pessoas foram necessárias para formar o grande golfinho e escrever a mensagem na praia. Felizmente, muitos turistas locais, amantes da praia, crianças e surfistas não só concordaram com a ação, mas também estavam dispostos a participar nela.

Assim, os ativistas conseguiram completar a explicação de todas as letras e também marcharam para formar um cravo vermelho, um símbolo para proteger as costas portuguesas.

Esta ação da Tamera foi realizada com o apoio dos grupos ambientais ALA e ASMAA, os municípios de Aljezur e Odemira, vários municípios locais e a Aliança Clima Portuguesa. A imagem foi desenhada pelo ecologista John Quigley da Spectral Q e filmado por Ludwig Schramm.

Source

NO COMMENTS