GNR

A Guarda Nacional Republicana (GNR) do Porto deteve, no dia 23 de março, dois homens, de 45 e 51 anos, por violência doméstica, em duas situações distintas, no concelho de Vila Nova de Gaia.

Na primeira situação, os militares apuraram que o suspeito de 45 anos agrediu, injuriou e ameaçou de morte a vítima, sua companheira de 33 anos.

O suspeito, que já tinha antecedentes criminais por homicídio na forma tentada e posse ilegal de arma, acabou por ser detido na sequência do “escalar dos episódios de violência física”.

A GNR, revela o comunicado enviado às redações, levou a cabo um mandado de busca domiciliária que permitiu apreender uma arma de fogo de calibre 9 mm, 35 munições de calibre 9 mm, uma soqueira e dois detonadores pirotécnicos.

No segundo caso, um homem de 51 anos, sem antecedentes criminais, foi também detido por agressões e ameaças de morte à vítima, sua companheira de 47 anos.

A força militar apurou que, durante a relação de 20 anos, a vítima foi alvo de diversos episódios de violência física e ameaças por parte do agressor. Numa tentativa de a controlar, e motivado por “ciúmes exacerbados”, o suspeito acusava a vítima de manter relacionamentos extraconjugais, acabando por controlar-lhe as rotinas e não permitindo que esta andasse sozinha na rua.

A GNR apurou ainda que o suspeito tinha na sua posse diversas armas, o que deu origem a um mandado de busca domiciliária que culminou na apreensão dessas armas e de munições.

Os detidos foram presentes a primeiro interrogatório, na quarta-feira, no Tribunal de Instrução Criminal do Porto, onde lhes foram aplicadas as medidas de coação de afastamento das residências das vítimas, proibição de contactar as vítimas por qualquer meio ou forma, de se aproximarem dos locais habitualmente frequentados pelas vítimas, não se podendo aproximar das mesmas, controlados por pulseira eletrónica, e proibição de deter ou adquirir armas de qualquer natureza.