A NASA e a SpaceX lançaram este sábado, às 20:20, a sonda SpaceX Crew Dragon do Kennedy Space Center, na Flórida.

É a primeira missão desde a saída de cena do Falcon 9 em 2011 com astronautas norte-americanos desde o solo dos EUA. Doug Hurley e Bob Behnken partiram às 20:20 rumo à Estação Espacial Internacional (ISS) e irão enfrentar agora 19 horas de voo.

A contagem decrescente na última quarta-feira foi interrompida quando faltavam menos de 17 minutos, devido à ameaça de relâmpagos. “O Falcon/Dragon foi concebido para resistir a múltiplos relâmpagos, mas não nos parece sensato correr este risco”, disse na altura Elon Musk, o chefe executivo e fundador do SpaceX.

Hurley e Behnken referiram na sexta-feira que já sofreram vários atrasos em voos de vaivém espacial, tanto por razões técnicas como meteorológicas. Hurley disse que a sua primeira missão foi adiada cinco vezes no decurso de um mês.

A segunda missão foi o último voo de vaivém espacial da NASA, em julho de 2011, a última vez que os astronautas se afastaram do solo norte-americano.

A NASA tentou desencorajar os cidadãos a assistirem ao lançamento, por causa da pandemia de Covid-19, e limitou severamente o número de funcionários, visitantes e jornalistas dentro do Kennedy Space Center.

No entanto, na nova paragem turística reaberta do centro, os 4000 bilhetes para o lançamento foram todos comprados em poucas horas. De manhã cedo, os espetadores começaram a percorrer as praias e estradas da zona.

A NASA contratou a SpaceX e a Boeing, em 2014, ao abrigo de contratos que totalizam sete mil milhões de dólares. Ambas as empresas lançaram as suas cápsulas de tripulação no ano passado com manequins de teste.

O SpaceX’s Dragon cumpriu todos os seus objetivos, enquanto a cápsula Starliner, da Boeing, acabou na órbita errada e quase foi destruída devido a múltiplos erros de software.

Como resultado, o primeiro voo do Starliner com astronautas não é esperado até ao próximo ano.

Desde que retirou o vaivém espacial em 2011, a NASA tem confiado nas naves espaciais russas, lançadas a partir do Cazaquistão, para levar os astronautas de e para a ISS.