Um procurador iraniano revelou esta segunda-feira que o país emitiu um mandato de prisão contra os Estados Unidos, mais concretamente para o presidente norte-americano, Donald Trump, devido ao assassinato de um importante comandante militar no início deste ano, avança o ‘Independent’.

De acordo com o mesmo jornal, que cita a TV Al Jazeera, o governo iraniano terá acionando a Interpol para ajudar a cumprir a ordem judicial.

O procurador, Ali Alqasimehr, disse que o mandato internacional incluía Trump e outros 30 indivíduos supostamente envolvidos no ataque com drones a 3 de Janeiro, que resultou na morte do general Qassem Soleimani, comandante da força militar clandestina do Irão no exterior, de acordo informações prestadas à Agência Oficial de Notícias da República Islâmica (IRNA), esta segunda-feira.

Até ao momento ainda não são conhecidos os restantes cidadãos procurados pela acção do Irão, para além de Trump, mas o mandato pretende garantir que o líder norte-americano seja capturado, mesmo que a sua presidência termine em Novembro, caso não seja eleito.

De recordar que Soleimani, de 62 anos, liderou as operações militares iranianas no Médio Oriente, como comandante da Força Quds. O major-general foi morto quando a sua comitiva deixava o aeroporto de Bagdad, num ataque norte-americano, ordenado por Donald Trump.

O ataque ocorreu poucos dias depois de os manifestantes invadirem a embaixada dos EUA em Bagdad, entrando em confronto com as forças norte- americanas no local.