Menina de 7 anos ficou com cicatrizes horríveis depois de sofrer queimaduras químicas por uma tatuagem temporária de henna.

Madison Gulliver estava de férias no Egito quando decidiu fazer uma tatuagem com henna preto no antebraço.

Assim que chegou a casa, ao jovem de sete anos queixou-se que a tatuagem lhe provocava comichão.

Os desenhos bonitos em seguida entraram em erupção numa série de bolhas dolorosas, que tinham que ser cortadas por médicos numa unidade de queimaduras especializadas, deixando Madison com cicatrizes permanentes.

O pai Martin, de 50 anos, da Ilha de Wight, permitiu que a filha fizesse a tatuagem no salão interno do luxuoso hotel onde estavam hospedados, em Hurghada.

“Ela está potencialmente cicatrizada para a vida depois de ter uma tatuagem de henna negra, disse ele.

“A tatuagem foi feita no salão do hotel e eles afirmam que o problema não é o henna mas sim a pele da minha filha.

“Ela tem bolhas do dedo ao cotovelo e sofre com tanta dor”.

Um produto químico chamado para-fenilenodiamina, ou PPD, é adicionado ao henna para tornar as tatuagens mais escuras e aumentar a vida útil.

Enquanto PPD está presente em muitos produtos, como creme solar e corante capilar, geralmente é usado em doses muito pequenas.

A adição de PPD ao henna agora é reconhecida como um problema de saúde pública, pois este produto químico alergênico muitas vezes causa reações de hipersensibilidade em crianças.

Martin, gerente da Royal Mail, disse que desconhecia completamente os perigos e pediu mais avisos nos agentes de viagens.

Ele disse: “Eu acho que em parte a culpa é minha  porque eu não sabia disso, mas também é culpa do salão porque eles estão a usar produtos químicos perigosos em crianças.

“Queremos transmitir a mensagem a outras pessoas sobre este perigo”.

HENNA HELL Os médicos alertam sobre os perigos das tatuagens de henna preta – e como os turistas estão em risco de “queimaduras químicas” e reações alérgicas.

“Na manhã seguinte, toda a tatuagem estava a começar a inflamar, quando decidimos lavá-la, verificámos uma erupção cutânea no contorno da tatuagem.

“Então começamos a procurar na internet informação sobre tatuagens de henna negra e foi aí que percebemos todas as coisas preocupantes”.

Os médicos deram um creme á base de esteróides  para tratar a área, mas quando as bolhas começaram  a formar-se nos dedos de Madison, a jovem foi rapidamente apressada para A & E.

Depois de cinco visitas ao Hospital St Mary’s, onde eles receberam cremes e unguentos diferentes, ela finalmente foi encaminhada para o especialista em queimaduras, Salisbury District Hospital.

Ele disse: “Começamos a entrar em pânico. Eles nunca tinham visto isso antes, e cada vez que entrávamos, eles tentávam coisas diferentes, mas estava piorando”.

Os médicos realizaram um teste sobre o vazamento líquido das bolhas nos braços de Madison e ficaram chocados ao descobrir um alto nível de PH – indicando uma queimadura química.

“Decidiram tratar a pele removendo as bolhas, para que pudessem acessar a pele queimada embaixo”, acrescentou Martin.

“Eles pensaram que poderiam absorver as bolhas ao rebentá-las, mas isso não era possível porque eram tão grossas, que tiveram que ser cortadas.

Madison agora tem que usar uma ligadura de pressão durante pelo menos seis meses para minimizar as cicatrizes o máximo possível.

Agora, Martin quer avisar os outros sobre o perigo de tatuagens de henna preta.

Ele disse: “Nós não queremos compensação, o principal é cuidar de Madison e minimizar a cicatrização porque não queremos que ela cresça com uma cicatriz para resto da vida”.

Source

NO COMMENTS