Trabalhadores em licença que perderem o emprego receberão remuneração por redundância com base no seu salário normal, sob as novas leis em vigor a partir de hoje.

A mudança significa que os funcionários devem evitar perder, recebendo uma taxa reduzida devido ao fato de estarem em licença.

Os ministros dizem que isso significa que os funcionários não sofrem perdas e que desejam garantir “durante esse período difícil”.

O esquema de licença protegeu os empregos de milhões de trabalhadores durante a pandemia de coronavírus, com o governo a subsidiar 80% do seu salário.

Mas o apoio termina a partir de agosto e parado completamente em outubro.

O secretário de negócios, Alok Sharma, disse que o governo pede às empresas que paguem a quem elas despedirem com base no seu salário normal.

A maioria obedeceu, mas outras não, acrescentou.

“Pedimos aos empregadores que façam tudo o que puderem para evitar redundâncias, mas quando isso for inevitável, é importante que os funcionários recebam os pagamentos aos quais têm direito”, disse ele.

Outras mudanças que entrarem em vigor irão garantir que as compensações básicas para casos de demissão injusta sejam baseadas no salário total, e não nos salários do regime.

A secretária-geral do TUC, Frances O’Grady, disse que o governo deve se concentrar em “parar a perca de empregos em primeiro lugar”.

Ela acrescentou: “Precisamos urgentemente de apoio direcionado para as indústrias mais afetadas, e a extensão do esquema de licença para além de outubro para aqueles que precisam dele – sem isso, arriscamos uma avalanche de redundâncias no outono e prejudicamos a recuperação econômica”.

Novos números publicados na quinta-feira também revelaram que cerca de um em cada três trabalhadores com licença voltou a trabalhar nas duas primeiras semanas de julho, quando a indústria da hospitalidade começou a reabrir.

O setor com o maior número de trabalhadores que regressaram foram as empresas de alojamento e serviços de alimentação, onde 18% retornaram ao trabalho – embora 43% permanecessem em licença.

FonteSky News
Avatar
Manny Olas estudou em Cambridge, Reino Unido, e vive em Northampton desde 2003. É um apaixonado por comunicação, serviço publico e interação com o publico em geral. Faz emissões de rádio online e negocia no mercado de valores como passatempo.