Trump

Isso significa que o presidente não poderá postar no Facebook e Instagram até depois da transição do poder para Joe Biden em 20 de janeiro.

A rede social impôs originalmente uma proibição de 24 horas depois que seus apoiadores atacaram o Capitólio dos Estados Unidos.

O chefe do Facebook, Mark Zuckerberg, escreveu que os riscos de permitir que Trump poste “são simplesmente grandes demais”.

Em um vídeo postado no Facebook, Twitter e YouTube, Trump disse aos manifestantes que atacavam a sede do governo “Eu te amo” antes de mandá-los voltar para casa. Ele também repetiu falsas alegações sobre fraude eleitoral.

Cada uma das maiores redes sociais agiu contra as contas do presidente após a violência.

Zuckerberg disse que o Facebook removeu as postagens do presidente “porque julgamos que seu efeito – e provavelmente sua intenção – seria provocar mais violência”.

Mark_Zuckerberg

Mark Zuckerberg postou:

Os eventos chocantes das últimas 24 horas demonstram claramente que o presidente Donald Trump pretende usar seu tempo restante no cargo para minar a transição pacífica e legal de poder para seu sucessor eleito, Joe Biden.

Sua decisão de usar sua plataforma para tolerar, em vez de condenar, as ações de seus apoiadores no prédio do Capitólio, com razão, perturbou as pessoas nos Estados Unidos e em todo o mundo. Removemos essas declarações ontem porque julgamos que seu efeito – e provavelmente sua intenção – seria provocar mais violência.

Após a certificação dos resultados eleitorais pelo Congresso, a prioridade para todo o país deve agora ser garantir que os 13 dias restantes e os dias após a posse decorram pacificamente e de acordo com as normas democráticas estabelecidas.

Nos últimos anos, permitimos que o presidente Trump usasse nossa plataforma de acordo com nossas próprias regras, às vezes removendo conteúdo ou rotulando suas postagens quando violavam nossas políticas. Fizemos isso porque acreditamos que o público tem direito ao mais amplo acesso possível ao discurso político, mesmo ao discurso polêmico. Mas o contexto atual agora é fundamentalmente diferente, envolvendo o uso de nossa plataforma para incitar uma insurreição violenta contra um governo eleito democraticamente.

Acreditamos que os riscos de permitir que o presidente continue a usar nossos serviços durante esse período são simplesmente grandes demais. Portanto, estamos estendendo o bloqueio que colocamos em suas contas do Facebook e Instagram indefinidamente e por pelo menos as próximas duas semanas até que a transição pacífica de poder seja concluída.

Twitter:

A plataforma favorita de Trump, o Twitter, também suspendeu o presidente por 12 horas.

Ele disse que exigia a remoção de três tweets por “violações graves de nossa política de Integridade Cívica”.

A empresa disse que a conta do presidente permaneceria bloqueada para sempre se os tweets não fossem removidos.

Ele continuou dizendo que “Futuras violações das regras do Twitter … resultarão na suspensão permanente da conta @realDonaldTrump”.