Portugal
Dinheiro Vivo

Só amanhã, pela hora do almoço, é que o Reino Unido vai comunicar se Portugal se mantém ou abandona o corredor aéreo.

Ministro da Saúde britânico atira para amanhã, à hora de almoço, a divulgação da lista de países no corredor aéreo.

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, recusa-se a antecipar a decisão, em entrevista esta quinta-feira na Sky News.

“Vamos publicar uma decisão amanhã, com base nos dados existentes e não vou antecipar qualquer juízo de valor”, indicou Matt Hancock.

Ainda assim, o governante já veio avisar os britânicos: “As pessoas devem olhar para os números e apenas viajarem se estiverem preparados para ficar em quarentena – caso o contágio do vírus suba no país de destino”.

Em Portugal, a taxa de infeção por covid-19 nos últimos sete dias foi de 22,9 novos casos por 100 mil habitantes, acima dos 20 casos que o Reino Unido estipulou como métrica segura.

Esperava-se que a decisão do Governo britânico fosse tomada já na tarde de hoje, considerando que países como Espanha foram retirados do corredor aéreo a uma quinta-feira.

Na altura, a decisão levou a uma saída em massa dos britânicos de Espanha, onde estavam a passar férias. Se Portugal sair da lista de países no corredor aéreo, os ingleses que venham visitar o nosso país têm de cumprir uma quarentena de 14 dias quando regressarem a solo inglês.

A ameaça está a deixar apreensivos os operadores turísticos do Algarve e a nível nacional, conforme escreve o Dinheiro Vivo esta quinta-feira.

No ano passado, o mercado britânico foi responsável por 2,1 milhões de hóspedes, 9,4 milhões de dormidas e quase 3,3 mil milhões de euros em receitas turísticas.

Avatar
Manny Olas estudou em Cambridge, Reino Unido, e vive em Northampton desde 2003. É um apaixonado por comunicação, serviço publico e interação com o publico em geral. Faz emissões de rádio online e negocia no mercado de valores como passatempo.