Foto: TOBY MELVILLE

Quarentena vai deixar de ser obrigatória para os passageiros que regressem de território português.

Portugal vai integrar os corredores aéreos do Reino Unido e a quarentena vai deixar de ser obrigatória para os passageiros oriundos de território português. A medida deverá entrar em vigor a partir de sábado.
043C7A98 C03A 4E01 B02E 3F8E36F2A12E

O ministro britânico dos Transportes confirmou a informação no Twitter.

“Os dados também mostram que agora podemos adicionar Portugal aos países incluídos nos corredores de viagens”, disse Grant Shapps.

A notícia foi inicialmente avançada pelo jornal britânico The Guardian que sublinha, na publicação, a importância desta alteração para a indústria portuguesa do turismo, principalmente no Algarve. O Reino Unido é o principal mercado emissor de turistas para Portugal, tendo representado cerca de 20% do total em 2019.

De acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças, Portugal tem vindo a registar um decréscimo no número de infeções, tendo registado 27,8 casos por 100.000 habitantes nas últimas duas semanas.

O Reino Unido introduziu a necessidade de auto-isolamento por 14 dias a todas as pessoas que cheguem do estrangeiro ao Reino Unido em 08 de junho para evitar a importação de infeções, mas um mês depois isentou cerca de 70 países e territórios, considerados de baixo risco.

A isenção de quarentena é acompanhada com a mudança do conselho do ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) contra as viagens não essenciais para aqueles destinos, importante para efeitos de seguro de viagem.

Portugal, tal como a Suécia e Estados Unidos, esteve sempre fora da lista britânica dos destinos seguros, decisão que o governo português questionou por considerar não ser “baseada nos factos e nos números que são públicos”.

O Governo português sempre se manifestou muito crítico em relação à exclusão de Portugal dos corredores aéreos do Reino Unido. Inclusive fes muita pressão que a situação se invertesse.

No início do mês, Portugal apresentou um relatório da situação epidemiológica com base nos critérios usados pelo Reino Unido para tentar alterar as restrições de viagem para aquele país causadas pela Covid-19.

CROÁCIA, ÁUSTRIA E A ILHA DE TRINIDAD E TOBAGO FICAM DE FORA

Pelo contrário, Croácia, Áustria e a ilha de Trinidad e Tobago, nas Caraíbas, vão ser retiradas da lista devido ao crescente número de infeções, tal como tinha acontecido na semana passada com França, Países Baixos, Mónaco, Malta, as ilhas Turcas e Caicos e Aruba, e anteriormente com Bélgica, Andorra, Bahamas, Espanha e Luxemburgo.

REINO UNIDO REGISTA SEGUNDO MAIOR NÚMERO DE CASOS DE COVID-19

O Reino Unido registou esta quinta-feira mais seis mortes e 1.182 infeções de Covid-19 nas últimas 24 horas, o segundo maior número de casos desde 21 de junho, anunciou o Ministério da Saúde britânico.

Na quarta-feira tinham sido registadas 16 mortes e 812 infeções, mas nos seis dias anteriores o número de casos ultrapassou sempre o milhar, refletindo um novo agravamento da pandemia no país.

FonteThe Guardian
Avatar
Manny Olas estudou em Cambridge, Reino Unido, e vive em Northampton desde 2003. É um apaixonado por comunicação, serviço publico e interação com o publico em geral. Faz emissões de rádio online e negocia no mercado de valores como passatempo.