E depois dos Estados Unidos da América, a onda antiracista chega ao Brasil.

Os protestos ocorreram na cidade de Curitiba, no Paraná, e terminaram em violência na noite de segunda-feira, com a polícia a usar balas de borracha e gás lacrimogéneo para dispersar uma multidão de centenas de pessoas.

Vídeos dos media brasileiros mostraram cerca de uma dúzia de manifestantes a atirar pedras contra o edifício de um tribunal e a polícia, em locais diferentes, a atingir com cassetetes pessoas que entoavam cânticos contra o Presidente, Jair Bolsonaro.

O protesto foi convocado por grupos antifascistas nas redes sociais. Apenas 20% dos 1,7 milhão de habitantes de Curitiba são negros ou multirraciais, menos do que em muitas outras grandes cidades brasileiras.

Tudo começou pacificamente em frente à universidade federal do estado do Paraná, mas a imprensa local disse que se tornou violenta quando os manifestantes se aproximaram da residência do governador, Ratinho Jr., um aliado próximo de Bolsonaro.

Ninguém foi detido.