Estamos sentados no metro, ou à mesa, num sofá, em frente a um computador, numa fila de espera mas… Não estamos. Estamos numa “realidade paralela”, onde perdidos em listas de supermercado, tarefas a fazer, conversas passadas e até em encenações de diálogos futuros a nossa mente segue sem freio em modo “velocidade furiosa”.

FAQ – Perguntas e Respostas Frequentes

Para onde vamos a esta velocidade?
Não vamos a lado nenhum, porque continuamos exactamente onde estamos, na fila de espera, no metro, sentadados no sofá, etc. E aquele momento passou e era, como todos, irrepetível. E podia ter sido desfrutado de uma outra forma que nos trouxesse bem-estar e qualidade de vida.

O que alcançamos neste estado mental?
Alcançamos estados emocionais de ansiedade, desgaste intelectual e físico porque estamos com os músculos contraídos, os dentes cerrados, a testa franzida, e muitas vezes em apeneia.

De que modo o Yoga é o travão?
A prática de Yoga traz-nos esta noção clara do que a concentração, ou se preferir a atenção plena, pode fazer pelo nosso bem-estar emocional, físico e energético.

Comecemos pela respiração, respiramos 17 a 23 mil vezes por dia, mas não optimizamos toda a capcidade que temos. Assim, se ao longo do dia fizermos mais vezes uma respiração completa de forma consciente, estaremos a maximizar a nossa capacidade respiratória e com isso a aumentar os níveis de oxigénio que levamos até ao nosso organismo – o que nos vai deixar mais nutridos, com maior vitalidade e criatividade mas também mais tranquilos do ponto de vista emocional, pois esta respiração mais completa, detém a tendência da mente divagar.

E é aqui passamos à concentração, ou se preferir o termo, à atenção plena. Olhando para a imagem, percebemos bem qual dos estados mentais dos personagens preferimos.

É muito importante aquietar as ondas mentais, esvaziar a mente de pensamentos, conquistando a estabilidade emocional que nos irá proporcionar maior lucidez que será depois muito útil para os afazeres do dia-a-dia.

COFFEE BREAK – AQUI E AGORA!
Para esta semana, como exercício de Yoga, sugerimos que assuma o seu poder pessoal de poder fazer uma breve pausa, um coffee break. Exprimente estar mais atento aos seus pensamentos, eles têm freios, por isso quando se sentir a entrar em Velocidade Furiosa, tome o controlo:

– Faça uma respiração completa (inspire e expire pelo nariz) ao mesmo tempo que verifica que tem a sua coluna direita, bem alinhada, coloque os ombros no sítio deles e sinta o peito abrir.

– Mais uma respiração completa, expirando, com intenção, o máximo de ar para fora e concentre-se AQUI E AGORA, num objecto, numa parte do seu corpo, por exemplo na sua mão, ou no seu sapato, ou num ponto de luz, como uma vela ou um candeeiro. E AGORA, fique AQUI. Se a lista de supermercado vier, diga-lhe:
– Obrigada mas agora não, daqui a uns minutos já tratamos disso.


E continue focado no que escolheu depositar a sua atenção, perceba as linhas que lhe dão forma, as cores, o tamanho e sinta-se cada vez mais direito na sua postura, com uma respiração bem serena, o ar a entrar, o peito cheio, a barriga a vir para fora, depois o ar a sair, a barriga a vir para dentro.

Antes de terminar, esboçe um sorriso, ainda que tímido, e agradeça-se por este intervalo, e siga com os seus afazeres.

Estes coffee breaks que o Yoga traz à nossa vida são uma benção, não são?

Siga Mais Yoga no Facebook