Queria ser um poema lindo
cheirando a terra
com sabor a cana

Queria ver morrer assassinado
um tempo de luto
de homens indignos

Queria desabrochar
— flor rubra —
do chão fecundado da terra
ver raiar a aurora transparente
ser ribeira de julion
em tempo de são João
nos anos de fartura da espiga de midje

E ser
riso
flor
fragrante
em cânticos na manhã renovada.

Vera Duarte (Mindelo, 2 de outubro de 1952)

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Vera_Duarte_Pina

Crédito de Foto: Benoit Courti

Nouswww.benoitcourti.nethttp://500px.com/photo/20762613

Posted by Benoit Courti on Monday, 17 December 2012

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151199368068553&set=a.57276248552&type=3&theater

https://pedroassiscoimbra.blogspot.com/

 

Pedro Assis Coimbra
PAC, português cidadão do mundo, nasceu em Amiais de Baixo, Santarém em 29 de outubro de 1958 e vive em Budapeste há mais de 40 anos. “Militante das Palavras” escreve poesia porque é a maneira que tem de respirar e viver.