Yat-Sen Chang

Um ex-dançarino principal do English National Ballet foi considerado culpado de agredir sexualmente seus alunos.

Yat-Sen Chang atacou meninas e mulheres na English National Ballet and Young Dancers cademy, em Londres, entre dezembro de 2009 e março de 2016.

O homem de 49 anos foi condenado por 12 acusações de agressão sexual e uma acusação de agressão por penetração. Ele foi inocentado de uma ofensa.

Ele será sentenciado no Tribunal da Coroa de Isleworth em 18 de junho.

O juiz Edward Connell disse a Chang que sua ofensa havia “aumentado de gravidade” e o advertiu que ele enfrentaria uma “longa sentença de custódia”.

‘Perigoso e predatório’
As ofensas diziam respeito a quatro mulheres, na época com idades entre 16 e 18 anos, que acusavam o dançarino de tocá-las de maneira inadequada durante massagens nas escolas.

O júri foi informado de que Chang, que agora mora na cidade alemã de Kiel, “usou sua posição” como um dançarino de balé “famoso e reverenciado” para abusar de seus alunos.

O bailarino “não agrediu os alunos ele os apaupava”.

“Confiando que sua fama e posição o protegeria de reclamações ou das consequências de suas ações”, disse o promotor Joel Smith.

Chang negou todas as acusações, dizendo que “não tinha ideia” do motivo.

De acordo com um perfil no site do Theatre Kiel, Chang ingressou no English National Ballet em 1993 e foi o dançarino principal até 2011. Ele atuou em produções como O Quebra-Nozes, Coppélia e A Bela Adormecida.

A Polícia Metropolitana disse que duas de suas vítimas entraram em contato com a força em 2016 sobre agressões ocorridas durante aulas particulares de balé em sua casa, na escola de dança ou na escola de balé.

Os outros dois queixosos apresentaram mais tarde outras alegações.

Falando após a audiência no tribunal, Det Con Helen Larson descreveu o bailarino como “um indivíduo perigoso e predador”.

“Ele abusou de sua posição de confiança e poder para atacá-los quando estavam mais vulneráveis”, acrescentou ela.

Chang foi detido sob custódia antes da sentença.